Navegue:
Mercado global sinaliza dia de alta; por aqui, investidores esperam por divulgação do IBC-Br

Mercado global sinaliza dia de alta; por aqui, investidores esperam por divulgação do IBC-Br

No Brasil, mercado deve acompanhar a agenda econômica com a divulgação do Índice de Atividade Econômica do Banco Central, considerado uma prévia do PIB

Unsplash

Foto: Unsplash

Por:

Compartilhe:

Por:

As bolsas globais seguem no campo positivo nesta sexta-feira, 15, impulsionadas pelos resultados corporativos que estão sendo divulgados acima do esperado.

Na Ásia, as bolsas fecharam em alta com os investidores animados com a ajuda da China em afrouxar as restrições aos empréstimos imobiliários em alguns bancos para tentar conter a crise da dívida de algumas incorporadoras.

Seguindo o mesmo caminho, as bolsas europeias e os futuros americanos apresentam alta no pregão desta sexta, sendo impulsionados pelos bons resultados corporativos do terceiro trimestre, em especial dos bancos, que estão vindo acima das expectativas do mercado.

De certa forma, os números das empresas acima do esperado ajudam a reduzir os temores de que o crescimento econômico seja fortemente afetado pela crise energética e com os problemas na cadeia de suprimentos.

Outro fator que acabou elevando o maior interesse ao risco foi a decisão do presidente americano Joe Biden publicar, na véspera, a lei que eleva temporariamente o limite de empréstimo do governo, adiando assim uma nova revisão da dívida em dezembro.

Quanto às commodities, o preço do barril do petróleo bruto segue subindo, apresentando o maior rali de alta desde 2015. Enquanto isso, o preço do minério de ferro cai na Bolsa de Dalian. No entanto, os metais básicos dispararam, o que pode refletir positivamente nas ações da Vale e das siderúrgicas.

No Brasil, os investidores deverão acompanhar a agenda econômica com a divulgação do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), às 9h, que é considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB).

No campo político, as atenções continuam para o debate sobre o imposto fixo para os combustíveis, com o texto já aprovado na Câmara. Além disso, o presidente Jair Bolsonaro comentou em evento que irá determinar ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, a reversão da bandeira “escassez hídrica”, taxa adicional cobrada sobre a conta de luz dos brasileiros, que foi anunciada pelo governo no final de agosto.

A agenda econômica dos Estados Unidos reserva os indicadores de varejo e de confiança do consumidor de Michigan.

Compartilhe: