Navegue:
Com bom humor, mercado externo abre em alta nesta terça em meio aos resultados corporativos

Com bom humor, mercado externo abre em alta nesta terça em meio aos resultados corporativos

No Brasil, as atenções recaem sobre a divulgação da segunda prévia do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) pela FGV

Mercado Pixabay

Foto: Pixabay

Por:

Compartilhe:

Por:

As bolsas globais estão mais animadas nesta terça-feira, 19, com o mercado de olho nos resultados das empresas do terceiro trimestre para tentar identificar se o avanço da inflação e os altos custos com energia e matérias-primas já surtem efeito negativo nas margens de lucro.

No continente asiático, os mercados fecharam em alta, sendo puxados pela valorização das ações de tecnologia e a perspectiva de que os resultados corporativos permanecem acima das expectativas.

Na mesma direção, as bolsas europeias e os futuros americanos seguem em alta, também mostrando otimismo com os resultados corporativos. No entanto, as preocupações com a início de redução dos estímulos às economias e a pressão da inflação podendo refletir na decisão dos bancos centrais para o início da elevação da taxa de juros continuam no radar dos investidores.

Para esta terça, os investidores deverão acompanhar a leva de resultados corporativos apresentados no mercado americano. Durante a semana serão divulgados os números do terceiro trimestre da Netflix, Johnson & Johnson, Tesla e United Airlines. Na agenda econômica, saem os dados de novas construções residenciais dos Estados Unidos.

Quanto às commodities, o preço do barril do petróleo cai, após as sucessivas altas. O minério de ferro, por sua vez, permanece estável hoje.

No Brasil, o cenário político continua sob pressão, com notícias sobre a intenção do governo em estender o auxílio emergencial até dezembro de 2022, enquanto o teto dos gastos continua sendo questionado.

Os investidores ainda deverão seguir de olho no relatório da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos precatórios e o desenrolar da reforma do Imposto de Renda, após o senador Angelo Coronel (PSD-BA), relator da reforma, dizer que pretende retirar a tributação de lucros e dividendos do texto.

Na agenda econômica, as atenções recaem sobre a divulgação da segunda prévia do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Compartilhe:

Compartilhe: