Navegue:
Ibovespa toca maior nível desde setembro mesmo com Vale (VALE3) entre maiores quedas

Ibovespa toca maior nível desde setembro mesmo com Vale (VALE3) entre maiores quedas

Ibovespa segue beneficiado por investimento estrangeiro, mas foco muda para empresas que caíram muito nos últimos meses

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

O Ibovespa, principal índice do mercado de ações brasileiro, sobe pelo quinto pregão seguido e superou 117 mil pontos pela primeira vez desde meados de setembro.

Por volta das 12h55 (de Brasília), o Ibovespa subia 0,72%, a 116.988 pontos, após ter atingido máxima de 117.540 mais cedo. A alta desta terça-feira (22) ainda reflete, em parte, o interesse dos investidores estrangeiros por ativos do Brasil, segundo o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos.

“A performance do Ibovespa versus o S&P 500 em 2021 causou uma disparidade muito alta”, disse ele, referindo-se ao fato de o índice brasileiro ter caído cerca de 12% no ano passado, indo na direção oposta à do índice americano, que subiu quase 27%.

Além disso, a bolsa brasileira tem se beneficiado do aumento no preço das commodities. Isso é resultado direto da guerra na Ucrânia, que encareceu produtos como petróleo, aço e celulose. O Brasil possui grandes empresas que fabricam estes itens e estão menos expostas ao conflito, o que chama a atenção de investidores de fora.

Este interesse dos estrangeiros também tem efeito também sobre o dólar, que opera abaixo de R$ 5 pelo segundo dia consecutivo diante da forte entrada de capital externo no país – desde o início do ano foram quase US$ 80 bilhões em investimento estrangeiro na bolsa brasileira. Só na última sexta-feira, houve a entrada de R$ 4,3 bilhões, segundo a B3.

Chinchila, porém, ressalta que nesta terça-feira, especificamente, está ocorrendo um movimento de “rotação” nas carteiras. Os investidores estão vendendo ações como as da Vale (VALE3), que subiram muito recentemente, para embolsar os lucros e comprar ações de consumo, varejistas e construção civil.

A ação da Vale caía 2,45% hoje e era o papel que mais recuava dentre os componentes do Ibovespa, mas seu preço ainda está 20% acima da mínima de R$ 80,63 registrada em 24 de fevereiro, dia em que a guerra na Ucrânia começou.

O Banco Inter (BIDI11) e a Locaweb (LWSA3), por sua vez, se alternavam no posto da maior alta dentre os componentes do Ibovespa, subindo 6,63% e 6,41%, mas estão quase estáveis em relação ao preço observado na época em que a guerra na Ucrânia começou, e nos últimos 12 meses acumulam perdas de 65,6% e de 58,5%, respectivamente.

“É uma busca por oportunidade em ativos que ainda estão com preços atrativos, com expectativa futura de recuperação, mesmo com ambiente mais apertado no crédito e com inflação impactando o poder de compra”, disse Chinchila.

Mercado ainda pode azedar

A manutenção deste movimento de alta do Ibovespa, porém, depende de vários fatores, entre eles a continuidade das sanções econômicas à Rússia por ter invadido a Ucrânia e a evolução da guerra entre os dois países, segundo o analista.

Outro elemento importante é até quando os juros no Brasil vão continuar a subir. Nesta terça-feira o Banco Central divulgou a ata da reunião de política monetária da semana passada e o texto indica pelo menos mais um aumento nos juros, para 12,75% ao ano, apontando que ele pode ser suficiente para conter a inflação.

Especialistas, porém, acham que as taxas ainda podem subir mais – o Goldman Sachs prevê um avanço para 13% a 13,25% até junho.

Os juros nos Estados Unidos são outro fator relevante para o desempenho do Ibovespa nos próximos meses porque podem diminuir o fluxo de investimento estrangeiro direcionado ao Brasil.

Na segunda-feira, o mercado passou a esperar um aumento mais acelerado nos juros americanos em maio após o presidente do banco central dos EUA, Jerome Powell, ressaltar num discurso a necessidade de ação rápida da instituição para combater a inflação.

No entanto, para a estrategista de renda fixa da corretora americana Schwab, Kathy Jones, o recado de Powell deve ser entendido menos como um indício de juros subindo mais rápido e mais como um sinal de que o banco central americano está focado em combater a inflação e disposto a elevar os juros.

Nos EUA, cada mercado escolheu uma interpretação. O de juros levou os comentários de Powell ao pé da letra e as taxas dos títulos da dívida americana com vencimento em 10 anos subiam para 2,374% hoje, de 2,294% ontem.

O de ações, porém, ficou com a segunda interpretação, e comemorava o compromisso reforçado de Powell com altas em todos os três principais índices acionários.  O Dow Jones subia 0,63%, o S&P 500 avançava 0,99% e o Nasdaq Composto tinha alta de 1,86%. Na Europa, as bolsas também avançavam, com o índice Stoxx 50, que reúne ações de grandes empresas da zona do euro, subindo 1,10%.

Compartilhe:

Tags:

Compartilhe: