Navegue:
Ibovespa sobe com dados de inflação dos EUA; shoppings e commodities se destacam

Ibovespa sobe com dados de inflação dos EUA; shoppings e commodities se destacam

Índice terminou o pregão com avanço de 1,84%, aos 105.686 pontos, com Iguatemi (IGTI11) liderando os ganhos

Iguatemi Divulgacao

Foto: TradeMap

Por:

Compartilhe:

Por:

O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira, seguiu a tendência do exterior e fechou em alta, com destaque para as ações de shoppings centers e de commodities, que se beneficiaram dos dados de inflação dos EUA.

O índice terminou o pregão com avanço de 1,84%, aos 105.686 pontos, com R$ 23,64 bilhões em volume negociado. No mês até aqui, o saldo é de alta de 0,82%.

O principal dado econômico do dia, que mexeu com os mercados globais, foi o Índice de Preços ao Consumidor (CPI) dos EUA, que desacelerou o ritmo de alta mensal pela segunda vez consecutiva, de 0,8% em novembro para 0,5% em dezembro, mas acumulou avanço de 7% em 2021 – o que representa a maior inflação anual no país desde 1981.

O resultado veio perto do esperado pelo mercado, que esperava uma alta de 0,4% no índice.

Na visão de Andrey Nousi, analista e CEO da Nousi Finance, os dados são positivos. “Muita gente estava apreensiva que o número oficial fosse maior do que o esperado. Saiu em linha. Somente isso já é uma boa notícia, pois indica que a inflação está precificada no mercado”, explica.

A desaceleração da inflação em dezembro deve ajudar a diminuir ainda mais a preocupação dos investidores com a remoção acelerada de estímulos à economia pelo banco central dos Estados Unidos, o Federal Reserve. Ontem, parte desses receios foi afastada pelo próprio presidente da instituição, Jerome Powell, que descartou um corte nestes incentivos no primeiro semestre deste ano, embora tenha reiterado a necessidade de os juros do país subirem.

Por aqui, o cenário fiscal segue complexo, sobretudo em relação aos protestos de servidores federais por reajustes nos salários. Nesta manhã, funcionários do Banco Central (BC) ameaçaram entrar em greve por tempo indeterminado em fevereiro.

Além disso, o protesto de auditores fiscais da Receita Federal já reúne 1.288 pedidos de entrega de cargos de chefia e as primeiras exonerações começaram a ser realizadas, segundo o Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco)

Destaques do pregão

O dólar fechou em queda de 0,79%, a R$ 5,53, como consequência da desaceleração da inflação nos EUA. Isso, por sua vez, impulsionou os preços das commodities, favorecendo os pesos-pesados Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4), que fecharam em alta de 1,09% e 3,05%, respectivamente.

O alívio em relação à alta de juros nos leva também a uma queda nas taxas futuras, o que é benéfico para ações de shoppings, varejo e saúde. As maiores altas do Ibovespa no fechamento seguiam esta tendência: Iguatemi (IGTI11) subiu 8,31%, Magazine Luiza (MGLU3) avançou 7,5% e Multiplan (MULT3) teve ganhos de 6,55%.

Outro fator por trás da alta das varejistas foi a sinalização de que o estado de São Paulo não adotará restrições ao funcionamento de lojas diante da recente disparada de casos de Covid-19. Ontem à noite, foram publicadas notícias indicando que o governo paulista adotaria restrições para conter a disseminação da doença, mas hoje o governador João Doria indicou que elas ficarão restritas, no momento, a um reforço de protocolos de prevenção em eventos musicais e esportivos.

O analista da Empiricus Matheus Spiess acrescenta que a subida no preço das ações do setor também refletiu uma correção após meses de desempenho fraco dos papéis.

“Globalmente as empresas de varejo foram negociadas a preços de barganha. Aqui no Brasil, além desse fato, existem duas problemáticas, a primeira é a própria percepção de risco que o país tem. A segunda é a possibilidade de uma estagflação. As empresas do setor sofrem mais com isso, e enfrentarão mais um ano de dificuldades”, disse o analista em comentários à Agência TradeMap.

A Multiplan, além de surfar na alta do setor, se beneficiou da divulgação de sua prévia operacional, em que informou que as vendas do quarto trimestre ultrapassaram pela primeira vez os níveis pré-pandemia.

Outro setor que se beneficiou dos dados de inflação dos EUA foram os frigoríficos, que recentemente foram alvos de ataques da Casa Branca, que acusou as produtoras de proteínas pela escalada da inflação. JBS (JBSS3) subiu 2,02%; BRF (BRFS3), 2,67%; Marfrig (MRFG3), 1,6%; e Minerva (BEEF3), 1,03%.

As maiores quedas do Ibovespa, por sua vez, foram de Locaweb (LWSA3), Banco Inter (BIDI11) e Santander (SANB11), com recuos de 3,44%, 3,01% e 2,61%, respectivamente.

Deste lado do espectro, os papéis de grandes bancos reagiram negativamente ao alívio na curva de juros, que impulsiona a migração de investidores para ações de outros setores. Além da Santander, Bradesco (BBDC4) perdeu 0,14% e Itaú (ITUB4) teve baixa de 0,43%.

Compartilhe:

Compartilhe: