Navegue:
Guide está mais otimista com Ibovespa em 2022; entenda os motivos

Guide está mais otimista com Ibovespa em 2022; entenda os motivos

Perspectiva de fim da alta de juros no Brasil e de recuperação nos resultados das empresas fez Guide elevar projeção para o Ibovespa

Ibovespa BofA divulgacao

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

A Guide Investimentos elevou a previsão para a pontuação do Ibovespa no final deste ano e acredita que o principal índice da Bolsa brasileira deve encerrar 2022 a 130 mil pontos – ou cerca de 12,2% acima dos níveis atuais. Antes, a estimativa era de 120 mil pontos.

A previsão mais otimista reflete dois fatores, segundo a Guide: o fim do ciclo de aumento de juros no Brasil e o crescimento dos lucros das empresas, particularmente das produtoras de commodities.

Leia mais:
Copom sobe Selic em 1 ponto, a 11,75% ao ano, e sinaliza alta igual na próxima reunião

Segundo o head de research da Guide Investimentos, Fernando Siqueira, depois de ter passado por uma recessão econômica – e de ter vivido um período de recuperação dos mercados financeiros -, o Brasil está entrando numa fase de crescimento, em que a Bolsa sobe de forma mais gradual e com oscilações maiores.

Ele acrescentou que o momento atual lembra o período de 2002 a 2008, quando também houve inflação elevada, preços de commodities em alta e aumento de juros em diversos países – fatores que historicamente favorecem o mercado de ações brasileiro.

“Tanto no ciclo de 2002 quanto no ciclo de 2016 as commodities tiveram impacto importante na recuperação do Ibovespa”, disse Siqueira. “No Brasil, a inflação e os juros já subiram bastante e estamos mais perto do fim do ciclo de aperto monetário, enquanto os países desenvolvidos estão no início. Isso tem sido um fator de atração de capitais nos últimos meses e pode continuar nos próximos.”

Por volta das 12h30 (de Brasília), o Ibovespa subia 0,51%, a 115.895 pontos.

Eleição é risco, mas menor que inflação e alta de juros

A principal ameaça à projeção da Guide de alta na pontuação do Ibovespa é o aumento da inflação e dos juros, principalmente nos Estados Unidos, caso este movimento ocorra de forma muito abrupta.

“A inflação está elevada há algum tempo e em muitos países já é maior do que aquela observada entre 2007 e o início de 2008, outro momento de forte pressão inflacionária global”, disse a Guide

A corretora aponta que, se o aumento dos juros ocorrer de forma gradual, ainda haverá espaço para a recuperação do mercado de ações brasileiro.

“Historicamente, o Ibovespa superou o desempenho do S&P 500 em momentos de aumento de juros nos EUA. Não apenas isto, nos últimos três ciclos de aumento de juros pelo Fed [banco central americano], o Ibovespa se valorizou”, disse Siqueira.

As eleições, segundo ele, são um risco menor ao cenário projetado, porque os dois candidatos com mais chances de vencer a corrida presidencial – Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro – já passaram pelo cargo e, mesmo que ideologicamente opostos, não devem promover grandes alterações na política econômica.

Compartilhe:

Tags:

Compartilhe: