Navegue:
Com fome de investimentos, Eneva (ENEV3) fecha acordo para comprar termelétrica no Ceará

Com fome de investimentos, Eneva (ENEV3) fecha acordo para comprar termelétrica no Ceará

Compra de usina termelétrica movida a gás é o segundo acordo de aquisição anunciado pela Eneva num período de duas semanas

Complexo Parnaíba de exploração de gás

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

A Eneva (ENEV3) fechou um acordo para comprar a Termofortaleza, empresa que pertence à Enel e que opera uma usina termelétrica no estado do Ceará. A operação é avaliada em R$ 431,5 milhões, incluindo dívidas que serão assumidas pela Eneva.

A usina da Termofortaleza é movida a gás natural, tem capacidade instalada de 327 megawatts (MW) e contrato de venda de energia com a distribuidora Companhia Energética do Ceará até 2023.

Se este contrato de fornecimento de energia for renovado, a Eneva fará um pagamento extra de até R$ 97 milhões à Enel.

A operação ainda precisa da aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) para ser concluída.

No ano passado, a receita líquida da Termofortaleza somou R$ 1,7 bilhão, enquanto o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 580 milhões.

⇨ Acompanhe as notícias de mais de 30 sites jornalísticos de graça! Inscreva-se no TradeMap!

Fome de investimentos

Esta é a segunda aquisição anunciada pela Eneva nas últimas duas semanas.

No final de maio, a empresa divulgou que pretende comprar a Centrais Elétricas de Sergipe Participações S.A, também conhecida como Celsepar. O valor total da operação é de R$ 10,2 bilhões, incluindo R$ 4,1 bilhões em dívidas.

Pouco antes disso, divulgou ao mercado que fechou um acordo para fornecer gás natural à Suzano (SUZB3) no Maranhão – o que exigiria a construção de uma unidade de liquefação com custo estimado em R$ 530 milhões.

Desde que essas operações foram anunciadas, no entanto, as ações da Eneva têm sofrido na Bolsa. Em junho, acumulam queda de aproximadamente 8%.

Parte disso pode ser reflexo de receios com o quanto estes investimentos afetariam os indicadores de saúde financeira da companhia.

No fim de março deste ano, a Eneva tinha em caixa e equivalentes de caixa o montante de R$ 1,13 bilhão, queda de 32,6% em relação ao mesmo período do ano passado. O valor também sugere que, para avançar com a compra da Celsepar, a Eneva pode ter de levantar capital no mercado.

Ainda assim, todas as cinco instituições financeiras consultadas pela Refinitiv recomendam a compra das ações da Eneva e veem potencial de alta de pelo menos 4,6% nos preços em relação valor de fechamento de ontem, de R$ 14,34.

Compartilhe:

Compartilhe: