Navegue:
CBA (CBAV3): Votorantim aproveita alta no preço para vender parte da fatia na empresa

CBA (CBAV3): Votorantim aproveita alta no preço para vender parte da fatia na empresa

Ações da CBA acumulam alta de quase 50% em 2022 e, mesmo após vender participação, Votorantim continuará no controle da companhia

Perfil de alumínio para fabricação de janelas e portas

Foto: Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

A Votorantim vai aproveitar a valorização de quase 50% nas ações da CBA Alumínio (CBAV3) neste ano para vender parte de sua fatia na companhia.

Segundo fator relevante divulgado pela CBA, o conselho de administração aprovou no último domingo (3) uma oferta de parte das ações detidas pela Votorantim para investidores institucionais. 

A Votorantim atualmente é dona de 76% da CBA, mas pretende baixar esta fatia para pelo menos 70% ofertando ao mercado 34 milhões de ações. Os termos da operação, porém, preveem a possibilidade de lotes adicionais que dobrariam o volume da oferta, para 68 milhões, o que reduziria a participação da Votorantim na CBA para 64%.

Levando em consideração o preço de fechamento das ações da CBA na última sexta-feira (1), de R$ 19,13, a Votorantim arrecadaria R$ 677,6 milhões se vendesse 34 milhões de papéis, mas poderia captar R$ 1,35 bilhão caso decida pela venda dos lotes adicionais.

O preço definitivo de venda das ações será fixado na quarta-feira (6).

As ações da CBA estão em ascensão desde o início deste ano, acompanhando a arrancada nos preços do alumínio. A ação da empresa atingiu um valor recorde de R$ 24,90 no início de março após a Rússia, um dos grandes exportadores mundiais de alumínio, sofrer sanções econômicas por invadir a Ucrânia.

As medidas dificultaram a venda do produto russo ao exterior, e impulsionaram ainda mais os preços do alumínio, que chegaram a passar de US$ 4 mil por tonelada na London Metal Exchange, principal bolsa de negociação de metais do mundo..

gráfico com histórico dos preços do alumínio na London Metal Exchange
Fonte: LME

Por volta das 10h30 (de Brasília), as ações da CBA caíam 0,75%, a R$ 19,78.

Compartilhe:

Compartilhe: