Navegue:
C&A (CEAB3) recompra direito de oferta de produtos do Bradesco (BBDC4) por R$ 415 milhões

C&A (CEAB3) recompra direito de oferta de produtos do Bradesco (BBDC4) por R$ 415 milhões

Com a operação, foi viabilizado o lançamento do C&A Pay a partir de dezembro deste ano

Foto de arara de roupas, com sacola com logo da C&A ao fundo

Foto: C&A/Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

A C&A concluiu na terça-feira, 9, as negociações com o Bradesco para recompra do direito de oferecer serviços e produtos financeiros de forma exclusiva. O valor da transação foi de R$ 415 milhões e deverá ser liquidado em janeiro de 2023.

Em nota entregue à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a varejista de moda destaca que, com a operação, foi viabilizado o lançamento do C&A Pay a partir do mês que vem.

De acordo com a C&A, haverá um período de transição de dois anos, com a coexistência do C&A Pay e do cartão C&A gerenciado pelo Bradesco, para o cumprimento de regras no acordo de parceria.

A base atual de cartões da parceria está preservada, “para que não haja ruptura dos serviços para os clientes”, aponta a empresa.

A ampliação da oferta de crédito ao cliente é um dos pontos levantados pela varejista no plano de crescimento elaborado no IPO da companhia, realizado em 2019 na B3.

“O objetivo é ter uma oferta focada no formato digital e integrada ao programa de relacionamento, o C&A&VC, que possui mais de 18 milhões de clientes registradas”, destaca.

Os analistas Danniela Eiger, Gustavo Senday e Thiago Suedt, da XP, enxergam a parceria de forma positiva para a C&A, uma vez o anúncio deve alavancar as vendas da empresa por meio de uma oferta de crédito mais equilibrada.

“Entretanto, os ganhos devem demorar para serem refletidos nos resultados, enquanto os investimentos devem ser vistos já no curto prazo”, disseram os analistas no relatório divulgada na manhã desta quarta-feira, 10.

Ontem, as ações da varejista (CEAB3) encerraram o pregão em alta de 2,83%, a R$ 7,27. Na base anual, por outro lado, os papéis acumulam queda de 47% na bolsa. Acompanhe a cotação em tempo real pelo TradeMap.

Compartilhe:

Compartilhe: