Navegue:
Sem tendência, bolsas internacionais seguem de forma mista nesta terça; por aqui, divulgação do IPCA deve chamar atenção

Sem tendência, bolsas internacionais seguem de forma mista nesta terça; por aqui, divulgação do IPCA deve chamar atenção

No Brasil, os investidores aguardam pela divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, às 9h

Mercado Global - Unsplash
Por:

Compartilhe:

Por:

Nesta terça-feira, 10, as bolsas internacionais sinalizam dia sem tendência em meio à agenda carregada com importantes indicadores, além dos resultados corporativos e pautas políticas por aqui.

Na Ásia, os mercados fecharam novamente de forma mista. Os investidores continuam atentos à rápida propagação da variante delta pelo mundo, levantando a preocupação de que a recuperação econômica possa voltar a ser prejudicada.

Enquanto isso, as bolsas europeias vêm oscilando, mas o sinal está mais para o campo positivo, mesmo com a divulgação do índice de sentimento econômico da Alemanha, elaborado pelo instituto ZEW, mostrando um forte recuo, saindo de 63,3 em julho para 40,4 na leitura para agosto.

Esse resultado veio menor que o esperado pelo mercado, que aguardava por uma redução de 57,5.

Já o índice para as condições atuais subiu na pesquisa, de 21,9 em julho a 29,3 em agosto, informou o ZEW.

Os futuros americanos estão próximos da estabilidade,  à medida que os investidores continuam monitorando os discursos de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) sobre a redução das medidas de estímulo à economia dos Estados Unidos.

Hoje, o Senado americano deverá se reunir para discutir a aprovação do pacote de infraestrutura, do presidente Joe Biden.

Quanto às commodities, o petróleo se recupera após a maior baixa em três semanas, enquanto o minério de ferro continua pressionado com as intervenções chinesas.

O que rola por aqui?

No Brasil, os investidores ficam à espera da divulgação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, às 9h (horário de Brasília).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação na cidade de São Paulo, subiu 1,18% na primeira quadrissemana de agosto.

Ainda por aqui, as atenções também se voltam para a divulgação da Ata do Copom, já que os investidores aguardam para saber se o tom mais duro sobre a Selic irá continuar, além da agenda de Brasília, que segue bem cheia com a reforma do Imposto de Renda e a PEC dos Precatórios.

Na agenda corporativa teremos diversos resultados que serão divulgados no final do pregão de hoje: Intermédica (GNDI3), BR Distribuidora (BRDT3), C&A Modas (CEAB3), Randon (RAPT3), RaiaDrogasil (RADL3), Taurus Armas (TASA4), Klabin (KLBN11), Modalmais (MODL11), Qualicorp (QUAL3), Marfrig (MRFG3), CSU Cardsystem (CARD3), Porto Seguro (PSSA3), Santos Brasil (STBP3), Bahema (BAHI3), Estapar (ALPK3), Eternit (ETER3), Allied (ALLD3), Log-In (LOGN3), Vulcabras (VULC3), Equatorial (EQTL3), Terra Santa (LAND3), Vivara (VIVA3) e Positivo Tecnologia (POSI3).

Foto: Unsplash

Compartilhe: