Navegue:
Produção industrial cresce 0,4% em janeiro, sendo a 9ª alta consecutiva

Produção industrial cresce 0,4% em janeiro, sendo a 9ª alta consecutiva

Pesquisa do IBGE mostra que a maioria das atividades industriais se recuperou dos danos causados pela pandemia

Indústria
Por:

Compartilhe:

Por:

A produção industrial nacional avançou 0,4% em janeiro de 2021 em relação a dezembro do ano anterior, sendo o nono mês consecutivo de crescimento. Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada nesta sexta-feira, 5, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  

Apesar do avanço, a taxa segue 12,9% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011.   

O setor, que teve perdas acumuladas (–27,1%) entre o período de março a abril de 2020, prospera na tentativa de se recuperar dos estragos causados pela pandemia do Covid-19. Entretanto, este crescimento no mês de janeiro foi menos acentuado do que vinha sendo registrado nos meses anteriores.  

Grafico IBGE 2021 3 5 

Foto: IBGE/Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física

“Observamos a manutenção do comportamento positivo do setor industrial, mas com desaceleração no seu ritmo no mês de janeiro. Em abril do ano passado, a diferença para o patamar recorde era de -38,8%. Agora estamos mais perto (-12,9%), mas ainda com uma perda de dois dígitos”, diz André Macedo, o gerente da pesquisa.  

A PIM mostrou que 17 das 26 atividades industriais analisadas apontaram crescimento ante os níveis pré-pandêmicos. Entre elas, os bens de capital registraram o nono mês seguido de expansão, com 4,5%, acumulando um avanço de 148,4%.  

Uma das influências positivas mais relevantes foi a atividade de produtos alimentícios, que avançou 3,1%, eliminando, portanto, parte do percentual negativo acumulado nos últimos meses de 2020 (11%).  

Em contrapartida, dentre os 14 setores que mostraram recuo na produção, está a metalurgia, com queda de 13,9%, interrompendo então os seis meses de índices positivos consecutivos que vinha trazendo. Os bens intermediários (aqueles que abastecem a produção final) e os bens de consumo duráveis obtiveram taxas negativas no mês, fechando com –1,3% e –0,7%, respectivamente 

Para ler a PIM na íntegra, clique aqui. 

Foto: Rob Lambert/Unsplash

Compartilhe: