Navegue:
Bolsas mundiais apresentam sinais mistos nesta terça-feira

Bolsas mundiais apresentam sinais mistos nesta terça-feira

Por aqui, o dia reserva depoimento do Ministro da Saúde na CPI da Pandemia e repercussão da fala do presidente da Câmara sobre reformas.

Por:

Compartilhe:

Por:

Nesta terça-feira, 08, os futuros americanos apresentam sinais mistos, com investidores aguardando mais informações sobre a recuperação econômica do país e as condições das altas dos preços.

O mercado aguarda um importante indicador de inflação, que é o relatório do CPI (índice de preços ao consumidor) dos EUA. Ele será divulgado na quinta-feira (10), poucos dias antes da reunião do Federal Reserve sobre a decisão das taxas de juros, que acontecerá nós dias 15 e 16.

Enquanto isso, na Europa os investidores digerem os dados sobre o PIB da Zona do Euro, que veio melhor do que o esperado.

De acordo com a Eurostat, o produto interno bruto dos países que usam a moeda ficou em -0,3% na comparação trimestral e -1,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. Com isso, os dados são melhores do que as projeções do mercado, que apontavam para uma queda de 0,6% e 1,8%, respectivamente.

Também teve a divulgação sobre emprego. Nesse aspecto, os dados decepcionaram mais: o número de pessoas empregadas caiu 0,3% na zona do euro. No 4º trimestre de 2020, o emprego teve crescimento de 0,4%, em relação aos três meses anteriores.

Do outro lado do mundo, as bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta terça feira, com a revisão do PIB do primeiro trimestre do Japão. Os novos dados mostram que a economia japonesa encolheu 3,9% no período. Trata-se de uma melhora em relação aos -5,1% anteriores, mas os investidores acharam indigesto mesmo assim.

Na agenda econômica chinesa, hoje tem a divulgação do CPI de maio.

No mundo das commodities, o petróleo opera em queda, após atingir sua maior cotação em dois anos. Já as moedas digitais continuam tendo fortes quedas, de mais de 10% no caso do Bitcoin.

Cenário Interno

No Brasil, o governo federal planeja prorrogar o auxílio emergencial por mais dois meses, em razão da pandemia de Covid-19. Com isso, o subsídio deve durar até setembro, com os mesmos valores de R$ 150 a R$ 375 e igual alcance em termos de público.

Para bancar a prorrogação, a equipe econômica deve abrir um crédito extraordinário de aproximadamente R$ 12 bilhões, para reforçar os cerca de R$ 7 bilhões que ainda estão disponíveis do caixa de R$ 44 bilhões preparado para o programa.  

Hoje tem depoimento na CPI da Pandemia. O convidado é o atual Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que volta à CPI para uma segunda sabatina, às 9h.

Além da questão da vacinação, os senadores desejam cobrar um posicionamento a respeito da realização da Copa América aqui no Brasil, apesar da gravidade da pandemia.

Outro ponto no campo político é a fala do presidente da Câmara, Arthur Lira, afirmando que irá instalar ainda nesta semana a reforma administrativa e iniciará o processo da reforma tributária, tudo em concordância com o Senado.

O Palácio do Planalto tem trabalhado com o Senado para não alterar o texto aprovado pela Câmara no final de maio. Os senadores têm até o próximo dia 22 para votar a proposta ou o texto perderá a validade.

Compartilhe: