Navegue:
Bolsas internacionais mostram sinais mistos nesta quinta-feira

Bolsas internacionais mostram sinais mistos nesta quinta-feira

Investidores aguardam dados de emprego nos EUA. Hoje sai os números de seguro-desemprego e amanhã sai os dados de payroll de abril.

shutterstock 751455562
Por:

Compartilhe:

Por:

As bolsas europeias abriram mistas nesta quinta-feira, 06, enquanto os futuros americanos vem com sinais positivos. O mercado aguarda a divulgação de dados sobre emprego nos Estados Unidos. Em março, criaram-se 916 mil novos postos de trabalho no país. A expectativa para abril é que esse indicador atinja 1 milhão de novos empregos.

Os investidores também aguardam o anúncio da política monetária do Banco da Inglaterra, com expectativa de que a instituição mantenha políticas de estímulo econômico e taxa de juros referencial inalteradas.

Já a agenda corporativa reserva a divulgação dos resultados de empresas importantes nos Estados Unidos, como Regeneron, ViacomCBS, Kellogs, Dropbox, Beyond Meat, Shake Shack e Square.

No campo político, o governo de Joe Biden decidiu apoiar a suspensão de direitos de propriedade intelectual sobre as vacinas contra Covid-19. Com isso, os EUA seguem países como Índia e África do Sul na Organização Mundial do Comércio (OMC), ao lado da permissão de quebra de patente dos imunizantes. 

A decisão é importante e pode expandir o fornecimento global e reduzir a lacuna de vacinação entre países ricos e pobres.

Por fim, as bolsas asiáticas fecharam no positivo, com perspectivas de novas altas nas ações de tecnologias e também a espera pelos dados de empregos no EUA. Entretanto, as relações comerciais entre Austrália e China se deterioraram nos últimos dias e chamaram a atenção nos mercados. 

Cenário no Brasil 

Ontem, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros em 0,75 ponto percentual (p.p), por unanimidade. Esse é o segundo aumento na Selic somente em 2021, chegando a 3,5% ao ano.

O Comitê chamou a atenção para uma persistência dos preços elevados das commodities, causando choques com os preços administrados nos produtos. Porém, afirmaram que “mantém o diagnóstico de que os choques atuais são temporários”.

O mercado segue atento para uma provável nova elevação na Selic na próxima reunião do Copom, que acontecerá em julho, podendo chegar a 4,50% ao ano.

Além disso, os investidores deverão continuar acompanhando o desenrolar no campo político da CPI da Covid-19 e a reforma tributária. Hoje na CPI, o ministro atual da Saúde,  Marcelo Queiroga, e o presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres ,serão ouvidos.

O ex-ministro da saúdo Nelson Teich, declarou ontem que deixou o Ministério por falta de autonomia e por divergências sobre o uso da cloroquina.

A agenda de resultados segue bastante aquecida. Nesta quinta-feira teremos a divulgação dos números das empresas Camil, Ambev, Azul, Banco do Brasil, B2W, JHSF, Lojas Americanas e a B3.

Compartilhe: