Navegue:
Bitcoin cai para US$ 28 mil mesmo com Fed cumprindo o combinado; entenda

Bitcoin cai para US$ 28 mil mesmo com Fed cumprindo o combinado; entenda

Mercado de criptoativos se descola das bolsas globais com a persistência da aversão ao risco dos investidores

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Por:

Compartilhe:

Por:

O mercado de criptoativos voltou a cair nesta quinta-feira (26), mesmo após o Fed (Federal Reserve, o banco central americano) afirmar na véspera que não pretende aumentar os juros para além do que já estava combinado.

O Bitcoin (BTC) se descola do clima positivo que impulsiona as bolsas internacionais e chegou a tocar a faixa dos US$ 28 mil na mínima do dia. Por volta das 12h, o maior ativo digital recuava 1,56%, a US$ 29.259, conforme dados da CoinMarketCap.

Na mesma hora, a Nasdaq, que registrou forte correlação com as criptomeodas nos últimos meses, subia 2%

As altcoins, como são chamadas as moedas alternativas ao BTC, têm um dia ainda pior. O Ethereum (ETH), segundo maior ativo cripto, registrava queda de 6,02%, a US$ 1.849, enquanto a Solana (SOL) perdia 6,90%, a US$ 45,13.

Segundo Virgílio Lage, especialista em criptomoedas da Valor Investimentos, as perdas são causadas pela venda de posições em BTC de investidores pessoa física após a alta registrada na véspera.

“Ontem subiu com volume, e hoje os traders realizam parte desse lucro, por isso há essa correção em todo o mercado”, afirma.

O novo mergulho do BTC reforça que o sentimento de aversão dos investidores aos ativos de risco ainda está bastante elevado, mesmo com alguns sinais de recuperação dos mercados globais nos últimos dias.

Para Luis Nuin, analista da Levante Ideais de Investimento, o clima de ceticismo deve perdurar nos próximos meses e continuar a mexer com o humor dos investidores.

“Se antes a palavra recessão pouco circulava, de algumas semanas para cá,comentários acerca do tema começaram a ganhar tração”, afirmou.

O mercado também aguarda a divulgação nesta sexta-feira (27) da inflação americana medida pelo PCE (Índice de Preços para Despesas com Consumo Pessoal) de abril. O dado é o mais acompanhado pelo Fed no planejamento da política monetária.

Caso os números indiquem uma pressão negativa sobre a variação de preços, o mercado pode recuar ainda mais no fim de semana, período já marcado pela baixa liquidez.

O temor pela subida vertiginosa da inflação aos consumidores americanos ao maior patamar desde a década de 1980 se tornou um dos pontos de maior pressão ao mercado nas últimas semanas.

Caso a variação não seja contida, o Fed deverá tomar medidas mais duras no controle monetário, o que tem impacto sobre o desenvolvimento da atividade econômica nos próximos meses.

“As decisões do Fed têm influenciado o mercado, pois cada vez mais grandes investidores de Wall Street estão comprando cripto, e esses investidores sempre precisam medir os riscos apresentados pela inflação”, afirma Felipe Medeiros, analista de criptomoedas e sócio da Quantzed Criptos.

Compartilhe:

Compartilhe: