Navegue:
Azul (AZUL4) reverte lucro e fecha 4º trimestre com prejuízo líquido de R$ 945,7 milhões

Azul (AZUL4) reverte lucro e fecha 4º trimestre com prejuízo líquido de R$ 945,7 milhões

Empresa apresenta perdas, apesar de aumento na receita e no Ebitda no período

Azul (AZUL4) negociação Latam

Azul (AZUL4). Reprodução: Facebook

Por:

Compartilhe:

Por:

A Azul (AZUL4), empresa aérea brasileira, fechou o quarto trimestre de 2021 com prejuízo líquido de R$ 945,7 milhões, revertendo, assim o lucro de R$ 538,2 milhões apurado no mesmo período de 2020.

Em termos ajustados, o número melhorou, embora as perdas tenham permanecido. O prejuízo líquido passou de R$ 918,2 milhões para R$ 436 milhões.

A receita operacional líquida dobrou no comparativo entre os últimos trimestres de 2021 e 2022, passando de R$ 1,78 bilhão para R$ 3,73 bilhões.

A receita com transporte de passageiros cresceu 122% nos últimos três meses de 2021, para R$ 3,4 bilhões. Já a parte da azul relacionada a cargas apresentou uma subida mais tímida, de 30,8%, finalizando o trimestre em R$ 334 milhões.

No documento divulgado pela empresa nesta quinta-feira (24), apresentando o seu balanço financeiro, a Azul destaoua que a Azul Cargo, solução de lógistica da empresa, foi um “fator valioso de rentabilidade”.

“A Azul Cargo atende hoje mais de 4.500 cidades e comunidades em todo o país, sendo que em 2.000 cidades entregamos em 48 horas ou menos. A subsidiária atingiu R$ 1,1 bilhão em receita líquida em 2021, superando nossa ambiciosa meta de dobrar a receita de cargas em relação a 2019, quando geramos uma receita de R$ 480,7 milhões”, afirma a companhia.

Já o lucro antes dos juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 1,027 bilhão no trimestre, um aumento de 432% na comparação anual.

Resultado da Azul em 2021

No ano de 2021 completo, o prejuízo chegou a R$ 4,77 bilhões, abaixo dos R$ 10,4 bilhões apurados em 2020. A receita líquida cresceu 72,2%, para R$ 9,976 bilhões.

No ano, o Ebitda foi de R$ 1,59 bilhão, 501% maior que os R$ 265 milhões de 2020. Segundo a empresa, o valor, juntamente com a margem de 27,5%, “demonstra um poder de ganhos e potenciais de negócios a serem feitos no futuro”.

Despesas da Azul crescem 66%

No quarto trimestre de 2021, a Azul registrou um total de custos e despesas operacionais de R$ 3,2 bilhões, contra R$ 1,93 bilhão no mesm intervalo de 2021, um aumento de 66,3%. A empresa vinculou o crescimento ao aumento de capacidade de 46,5% e de receita em 109,1%.

Além disso, a Azul atribui o resultado aos aumentos no combustível de aviação, depreciação e amortização da dívida, tarifas aeroportuárias, despesas comerciais e de marketing e no preço de materiais de reparo.

Compartilhe:

Compartilhe: