Navegue:
Itaú BBA corta preço-alvo para Natura (NTCO3) em 31%, mas segue com indicação de compra

Itaú BBA corta preço-alvo para Natura (NTCO3) em 31%, mas segue com indicação de compra

Novo valor representa um potencial de valorização de 45% frente ao fechamento de quinta-feira

Natura Foto divulgação

Foto: Natura &Co/Divulgação

Por:

Compartilhe:

Por:

O Itaú BBA informou nesta sexta-feira, 26, que diminuiu o preço-alvo para as ações da Natura &Co (NTCO3), de R$ 58 para R$ 40 ao fim de 2022, devido aos custos de capital e de dívida mais altos, bem como por sua visão mais conservadora quanto à orientação da empresa para receita e lucro.

A recomendação segue de compra e o novo valor representa um potencial de valorização de 45% frente ao fechamento de quinta-feira, 25, de R$ 27,53.

Na semana, o papel da companhia apresenta queda acumulada de quase 10% na bolsa brasileira e, na base mensal, de 30%. Já no pregão desta sexta-feira, 26, por volta das 15h10, as ações da holding caíam 0,18%, a R$ 27,48, enquanto o Ibovespa, principal índice da B3, derretia 3,22% no mesmo horário, aos 102.409 pontos.

“Após uma análise aprofundada dos resultados da Natura &Co no terceiro trimestre de 2021, com um olhar preciso nos números de receita e lucratividade de cada unidade de negócio, acreditamos que Natura, Aesop e The Body Shop (TBS) apresentaram resultados decentes, principalmente no contexto de inflação elevada ao redor do mundo e problemas globais da cadeia de abastecimento”, destaca o Itaú.

O time de analistas formado por Thiago Macruz aponta que a Avon foi a responsável pela performance mais branda da holding entre julho e setembro deste ano.

“Ressaltamos que, neste momento, os investidores não precisam esperar uma melhora significativa nos números da Avon para gostar da tese de investimento para a Natura &Co”, comenta. O banco pontua que seus cálculos indicam que as ações da companhia estão com preços justos se a empresa não for capaz de melhorar os resultados de Avon.

Contudo, se a companhia, que foi adquirida em 2019, conseguir entregar uma melhora nesses números, os analistas acreditam que o ativo NTCO3 pode apresentar um potencial ainda mais significativo de alta.

→ Leia também: Natura &Co (NTCO3) estuda listagem na NYSE e implementação de BDRs na B3

Destaques operacionais

No terceiro trimestre, a marca Natura apresentou crescimento de Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 37% em relação ao mesmo período de 2019. “Um dos melhores desempenhos em nossa cobertura de empresas de varejo, embora parcialmente favorecida pela desvalorização cambial do real”, aponta a equipe de análise do Itaú BBA.

Além disso, de acordo com a comparação da Body Shop e da Aesop com os produtos de consumo da L’Oreal e a unidade de negócios Luxe, o Itaú BBA entende que as marcas da Natura apresentaram melhor crescimento de receita, com destaque para as margens de crescimento positivas de Aesop.

Compartilhe:

Compartilhe: