Navegue:
Open banking registra 1 milhão de autorizações para compartilhamento; 4ª fase começa no dia 15

Open banking registra 1 milhão de autorizações para compartilhamento; 4ª fase começa no dia 15

4ª fase do open banking entra em vigor em 15 de dezembro e vai permitir o compartilhamento de dados sobre seguros e produtos de investimentos

open banking png
Por:

Compartilhe:

Por:

Desde a entrada em vigor da segunda fase do open banking, em 13 de agosto, já foram registrados em torno de 1 milhão de consentimentos para compartilhamento de dados de clientes, segundo nota do Banco Central.

O open banking começou a ser implementado no Brasil em 1º de fevereiro deste ano. A quarta fase da implementação está prevista para começar em 15 de dezembro e vai permitir o compartilhamento de dados de operações de câmbio, serviços de credenciamento, contas de depósito à prazo e outros produtos de investimento como seguros, previdência complementar aberta e capitalização.

Desde agosto, quando começou a segunda fase do programa, os usuários podem compartilhar informações como dados cadastrais e de movimentações financeiras com outras instituições participantes do open banking.

O compartilhamento de dados de clientes entre as instituições financeiras no sistema é feito via APIs (Application Programming Interface, em inglês, ou Interface de Programação de Aplicativos). São instruções e padrões de programação que permitem a integração de sistemas, como os usados por diversos aplicativos para celulares, como o Uber e IFood, que criam soluções a partir dos sistemas iOS ou Android.

Registro de dados sobre investimentos será feito até 25 de março

A partir do dia 15 de dezembro, as instituições participantes devem iniciar processo de certificação funcional das APIs dos produtos que serão compartilhados.

Uma vez obtidas as certificações, o registro dessas APIs no ambiente dos participantes desse sistema para compartilhamento de dados sobre produtos como investimentos e seguros deve seguir o cronograma abaixo:

  • Até 4 de março de 2022: para o registro de dados sobre seguros, previdência complementar aberta e capitalização;
  • Até 11 de março de 2022: para  informações sobre  serviços de credenciamento em arranjos de pagamento;
  • Até 18 de março de 2022: para o registro de dados de operações de câmbio;
  • Até 25 de março de 2002: para o registro de dados de contas de depósito a prazo e outros produtos com natureza de investimento.

Quais as vantagens do open banking?

Com a entrada em vigor do open banking, os usuários têm mais autonomia sobre seus dados financeiros e poderão escolher com quais empresas compartilhá-los.

Os clientes poderão solicitar o compartilhamento de dados como histórico de crédito em um banco, informações sobre sua carteira de seguros, previdência e investimentos com outras instituições participantes do open banking e autorizadas a funcionar pelo Banco Central.

Assim, com base nessas informações, as instituições poderão oferecer serviços mais competitivos e os clientes poderão escolher as ofertas que apresentem a melhor condição para eles.

Desde  o início do open banking, foram registradas aproximadamente 51 milhões de chamadas de APIs, segundo dados do BC. Atualmente, mais de 700 instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central são participantes do open banking.

A implementação do modelo faz parte da agenda BC#, que visa aumentar a transparência, inclusão e competitividade no Sistema Financeiro Nacional (SFN).

Compartilhe: